conecte-se conosco


Policial

Suspeito de matar companheira em Várzea Grande é preso em Primavera do Leste

Publicado

em

Assessoria | PJC-MT

O suspeito de matar a companheira e ferir o filho dela, no bairro São Simão,em Várzea Grande, em 07 de junho de 2019, foi preso na zona rural de Primavera do Leste, na tarde de quinta-feira (11), pela Polícia Civil, por meio da  Delegacia Especializada de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP), pela equipe de investigação chefiada pelo delegado Marcel Gomes.

Uelton Rodrigues de Jesus, 42 anos, é apontado como autor do assassinato de Maria Domingas Elias de Anunciação, 35 anos, e tentativa contra o filho dela e de 15 anos (W.E.A). Ele teve um mandado de prisão cumprido e foi apresentado em audiência de custódia, em Primavera do Leste.

O preso será trazido para Cuiabá, para responder pelo crime de feminicídio e tentativa de homicídio na comarca de Várzea Grande.

Na ocasião do crime, a vítima foi encontrada caída em sua residência,  no interior do seu quarto com perfurações de arma branca. Ela estava na casa junto com seu filho 15 anos, e também do suspeito, momento que houve uma discussão e o suspeito pegou uma faca e passou a agredi-la. A vítima que foi atingida por perfurações no abdômen e na altura do tórax e ferimentos no braço e nas mãos, como tentativa de defesa do agressor.

 O filho dela, na tentativa de salvar a mãe, foi ferido também pelo agressor, sendo encaminhado ao Pronto Socorro Municipal de Várzea Grande.

A vítima já havia registrado boletins de ocorrência de violência doméstica contra o suspeito, e também tinha requisitado medidas protetivas da lei Maria da Penha, que já não estava mais com validade. Familiares informaram que o  suspeito não se afastava do lar, mantendo a vítima sobre constantes ameaças.

Em um dos casos registrados, registrado em janeiro de 2019, a vítima narrou que foi ameaçada com uma faca e chegou a chamar a Polícia Militar, mas quando os policiais chegaram ele já tinha fugido. Após, ele retornou a casa e colocou fogo em parte do imóvel, que móveis e roupas queimadas.

Outros dois boletins, agosto e janeiro de 2018, também haviam sido registrados pela vítima, relatando ameaças e destruição de objetos da casa, como aparelho de TV, janeiras e vidro de uma das portas, além das ameaças a ela, ele também ao filho.

As três denúncias tiveram inquéritos policiais tramitados e concluídos pela Delegacia da Polícia Civil de Várzea Grande, com medidas protetivas requeridas.

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policial

Polícia Civil apreende 232 bolsas réplicas de grifes famosas

Publicado

em

por

Assessoria | PJC-MT

A Polícia Civil apreendeu 232 produtos (bolsas e carteiras) réplicas de grifes famosas na sétima fase da operação Fictus VII, realizada na manhã desta quarta-feira (17), pela Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor (Decon) em conjunto com o Procon de Cuiabá e apoio da equipe da Diretoria de Execução Estratégica (DEE).

A mercadoria, sendo  211 bolsas e 21 carteiras, foi apreendidas em duas lojas do Shopping Popular, no bairro Dom Aquino,  na Capital. Em um Box foram 138 cópias de bolsas de marcas Victor Hugo e Louis Vuitton, e no segundo foram 21 carteiras e 73 bolsas, falsificadas da marca brasileira e francesa.

Um dos proprietários informou aos policiais que os produtos são oriundos de São Paulo e que tem conhecimento serem de “segunda linha”, ou seja, falsificados.

O Procon lavrou auto de constatação e infração contra os dois estabelecimentos.

O delegado da Decon, Antônio Carlos Araújo, informou que serão instaurados dois inquéritos policiais e após perícia da Politec ficar constatado que os produtos são falsificados os responsáveis pelos estabelecimentos serão indiciados. 

Os dois proprietários foram conduzidos à Delegacia do Consumidor e poderão ser responsabilizados em crimes relativos a condutas praticadas no comércio de produtos falsificados ou pirateados, que estão tipificadas no artigo 190, inciso 1 da Lei 9.279/96, do Código de Propriedade Industrial, pena detenção de 3 meses a 1 ano; artigo 7, inciso 7, VII, da Lei 8.137/90 da lei contra as Relações de consumo, pena de 2 a 5 anos ou multa; por fraudes no comércio, previsto no artigo 175, inciso I do CPB, e ainda por infrações praticadas dentro do Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90 em seu artigo 67).

Continue lendo

Polícia

Política MT

Política Nacional

Polícia Federal

Mais Lidas da Semana