conecte-se conosco


Economia

Regras especiais na aposentadoria de policiais racham base aliada do PSL

Publicado

em

Câmara arrow-options
Reprodução/Portal Câmara

Votação só acabou na madrugada desta sexta-feira e garantiu novas regras aos policiais

A Reforma da Previdência, aprovada na Câmara dos Deputados nessa semana, é uma das principais promessas do presidente Jair Bolsonaro e está entre as maiores expectativas de seus eleitores. No entanto, a a provação de regras especiais na aposentadoria de policiais que servem à União causou repercussão negativa na manhã desta sexta-feira (12), incluindo entre a base aliada do PSL.

Leia também: Previdência: Proposta sobre idosos é negada; trecho em prol da mulher é aprovado

O plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta madrugada, por 467 votos a 15, a emenda do Podemos que reduz a idade mínima de aposentadoria para os policiais federais, legislativos, civis do Distrito Federal, rodoviários federais e agentes penitenciários e socioeducativos federais, entre outros, para 53 anos (homens) e 52 anos (mulheres).

A redução da idade, no entanto, só valerá para quem cumprir um pedágio de 100% do tempo de contribuição que falta para aposentar-se: 25 anos para mulher e 30 anos para homem. Dessa forma, se faltarem três anos de contribuição pelas regras atuais, os policiais terão de trabalhar seis anos para reduzir a idade mínima. A medida vale apenas para os profissionais que estão na regra de transição.

A iniciativa, porém, não foi bem vista pelos apoiadores do governo. Nesta manhã, as hashtags #PSLtraidor e #ReformaMeiaBocaNao estavam em primeiro e segundo lugar nos Trending Topics do Twitter. O perfil bolsonarista Caneta Desesquerdizada, que tem mais de 300 mil seguidores, publicou uma série de mensagens sobre as novas regras e citou um tweet da líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann, que ainda nesta semana tinha criticado o privilégio para os policiais. 

Apoiador da reforma, o deputado federal Kim Kataguiri (DEM) também criticou a decisão do Congresso. “O pedreiro vai se aposentar com 65 anos; A faxineira com 62; Professores vão se aposentar com 57 e policiais federais não aceitam 55, querem 53. Tudo pago por quem se aposenta aos 65”, escreveu o parlamentar. 

O MBL (Movimento Brasil Livre), apoiado por grande parte da direita, classificou os argumentos usados para justificar as novas regras como “bizarros”. “Ainda que queiram dar regras diferenciadas, que se discuta lá uns 60 anos enquanto o povo é 65. Mas DOZE anos ANTES que um trabalhador comum tá de sacanagem”. 

Alvo de críticas, Joice Hasselmann e respondeu alguns seguidores em sua conta do Twitter e chegou a chamar um deles de “anta”. A deputada Carla Zambelli, também do PSL, afirmou que as críticas dos usuários estavam vindo de perfis fakes pagos pela esquerda.  Confira alguns dos tweets:

Leia também: Câmara continua análise da reforma da Previdência nesta sexta-feira

Ainda faltam nove destaques e emendas para serem votados. Líderes de alguns partidos concordaram em formar um bloco para unificar as orientações de voto, com o líder de um partido falando em nome dos demais, para acelerar a sessão. Em alguns casos, o bloco abrirá mão de encaminhar a orientação única.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Economia

Netflix decepciona investidores ao crescer menos que o esperado no trimestre

Publicado

em

por

site do netflix arrow-options
Getty Images

Receita subiu de US$ 3,91 bilhões para US$ 4,92 bi. Analistas esperavam US$ 4,93 bilhões

A Netflix adicionou menos assinantes trimestrais do que Wall Street esperava e sua base de clientes nos Estados Unidos encolheu à medida que sua programação não conseguiu atrair novos clientes, alertando investidores para a crescente concorrência.

As ações da Netflix caíram 13% no after-market desta quarta-feira (17), após a companhia divulgar resultados trimestrais e informar que perdeu 130 mil clientes dos EUA.

Saiba mais: Netflix pode ganhar US$ 1,3 bilhão por ano caso comece a ter propagandas

O serviço de streaming de vídeo dominante do mundo informou que atraiu 2,83 milhões de novos assinantes fora dos EUA, abaixo das expectativas de analistas que era de 4,8 milhões, segundo dados do IBES da Refinitiv. Analistas previam ganho de 352 mil nos Estados Unidos.

A Netflix previu crescimento de 7 milhões de clientes pagos no terceiro trimestre, com a ajuda de uma nova temporada do thriller sobrenatural “Stranger Things”, lançada em 4 de julho. Isso é mais otimista do que os 6,6 milhões previstos pelos analistas consultados pela Refinitiv.

Lista dos mais ricos do mundo é atualizada e Bill Gates perde segundo lugar

O lucro líquido caiu para US$ 270,7 milhões (US$ 0,60 por ação) no trimestre encerrado em 30 de junho, ante US$ 384,3 milhões (US$ 0,85 por ação) um ano antes. Já a receita total subiu de US$ 3,91 bilhões para US$ 4,92 bilhões. Analistas, em média, esperavam receita de US$ 4,93 bilhões.

Segundo o estrategista-chefe da Avenue Securities, William Castro Alves, um dos pontos de preocupação do mercado em relação à Netflix é que um menor crescimento coloca em xeque a solidez de seu balanço. Ele lembra que a empresa possui uma dívida total de US$ 12,6 bilhões e uma caixa de US$ 5 bilhões. Só neste primeiro semestre, a empresa queimou  mais de US$ 1 bilhão em atividades operacionais e investimento.  

“Quando há crescimento, é mais fácil contar com a leniência dos credores, mas e quando esse crescimento não vem? Como ficam as promessas de reverter a queima de caixa?  A empresa justificou a falta de crescimento pelo aumento de preços  que fez em algumas regiões e não vê problema na concorrência. Mas como fica a rentabilidade futura se a base de assinantes não cresce?” questiona Castro Alves.

Continue lendo

Polícia

Política MT

Política Nacional

Polícia Federal

Mais Lidas da Semana