conecte-se conosco


Policia Federal

PF combate trabalho escravo no ES

Publicado

em

Vila Velha/ES – A Polícia Federal no Espírito Santo realizou, entre os dias 7 e 12 de junho, operação de combate ao trabalho escravo no interior do Estado, juntamente com o Ministério do Trabalho, Defensoria Pública da União e o Grupo Especial de Fiscalização Móvel da Secretaria Especial da Previdência do Trabalho, identificando 132 trabalhadores em situação irregular, sendo sete deles menores de idade em situação de trabalho infantil.

 Nas abordagens, foram identificados 90 trabalhadores sem contrato empregatício. Não houve prisão em flagrante pois em nenhuma situação fora constatada condição análoga a de escravo.

 A operação foi realizada nas cidades de Sooretama, Pancas, Santa Teresa, São Roque e Vila Valério, na região Norte do Estado, em propriedades de cultivo de café e coco.

 

 

 

 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Policia Federal

Operação Efígie investiga fraudes contra o INSS no Espírito Santo

Publicado

em

por

Vila Velha/ES – A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (17/7) a Operação Efígie, com o objetivo de desmantelar organização criminosa, com atuação no Espírito Santo e na Bahia, que pratica fraudes em face do INSS.

Cerca de 14 policiais federais dão cumprimento a quatro mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal de Vitória/ES, na cidade de Vila Velha/ES. A operação contou com o apoio da Coordenação Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT), do Ministério da Economia.

A investigação apontou que o grupo criminoso utilizava documentos falsos para criação de pessoas fictícias e posterior saque de Benefícios de Prestação Continuada de Amparo ao Idoso. Os cálculos indicam que o grupo criminoso teria gerado um prejuízo de cerca de R$ 6 milhões ao INSS.

Os crimes investigados são o uso de documento falso, falsidade ideológica, falsificação de documento público, estelionato qualificado e organização criminosa, podendo chegar a 14 anos de reclusão.

A ação de hoje é um desdobramento da Operação 5×7 deflagrada pela PF/ES em junho de 2019.

 

Continue lendo

Polícia

Política MT

Política Nacional

Polícia Federal

Mais Lidas da Semana