conecte-se conosco


Política Nacional

“Juiz não pode ser chefe de força-tarefa”, diz Gilmar Mendes em sessão do STF

Publicado

em

Gilmar Mendes
Rosinei Coutinho/SCO/STF – 13.6.18

Ministro Gilmar Mendes durante sessão extraordinária do Supremo Tribunal Federal (STF)

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes mandou indireta ao ex-juiz Sergio Moro, na esteira da troca de mensagens entre o atual ministro da Justiça e o procurador Deltan Dallagnol, cujo teor foi revelado no último fim de semana em reportagens publicadas pelo site The Intercept .

Leia também: “A verdade fica doente, mas não morre”, diz Lula após vazamentos da Lava Jato

Durante sessão de julgamentos da Segunda Turma da Corte nesta terça-feira (11), Gilmar Mendes afirmou que “juiz não pode ser chefe de força-tarefa” – sem citar nomes ou fazer referência direta às mensagens trocadas entre Moro e Dallagnol.

Nas conversas que vieram a público no último domingo (9), Sergio Moro repreende a força-tarefa da Lava Jato por o que ele considerou ser “muito tempo” sem operações, reclamou de recursos apresentados pelo Ministério Público Federal (MPF) e chegou a indicar possíveis colaboradores para as investigações.

As declarações de Gilmar se deram durante seu voto contra o recebimento de denúncia contra integrantes do chamado ‘quadrilhão do PP’ (que acabou aceita) . O ministro avaliou que a acusação pelo crime de organização criminosa contra os parlamentares da cúpula do PP se baseou em fatos já arquivados em outros processos.

Por esse motivo, Gilmar Mendes afirmou que os elementos na denúncia não poderiam ser acolhidos pela Segunda Turma do STF , “pelo menos enquanto se tratar de Corte de Justiça”.

Leia também: Telegram nega ter sido alvo de ataque hacker em vazamento de conversas de Moro

“A não ser que haja tribunais destinados a condenar nesse modelo de colaboração que se está a desenvolver, em que juiz chefia procurador. Não é o caso desta Corte, não é o caso deste colegiado. Juiz não pode ser chefe de força-tarefa”, acrescentou Gilmar Mendes em seguida.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Política Nacional

Sérgio Cabral está apto a receber visitas íntimas de Adriana Ancelmo na cadeia

Publicado

em

por

Sergio Cabral e Adriana Ancelmo
Paulo Araújo/Agência O Dia

Sérgio Cabral e a ex-primeira-dama Adriana Ancelmo poderão ter encontros íntimos em Bangu 8

ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (MDB) foi classificado pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) como apto a receber visita íntima da ex-primeira-dama Adriana Ancelmo em Bangu 8, na zona oeste do Rio.

Mas apesar de ter tido o direito concedido há aproximadamente dois meses,  Sérgio Cabral ainda não está autorizado a exercê-lo porque tem um processo administrativo em curso.

Adriana Ancelmo
Fernando Frazão/Agência Brasil – 10.5.17

Esposa do ex-governador Sérgio Cabral, Adriana Ancelmo

Para o preso exercer o direito à visita íntima, ele solicita à assistência social do presídio. Assim, o trâmite é iniciado na cadeia para, posteriormente, ser chancelado pela Seap. No entanto, esse direito não pode ser exercido enquanto há contra o preso algum procedimento administrativo em tramitação.

No caso de Cabral, ele respondia a um por ter sido flagrado na cadeia com mais dinheiro do que o permitido , que foi arquivado posteriormente.

Mas, como o ex-governador foi punido pela Seap em outro caso, o da videoteca, ele continua sem poder receber a visita íntima .

Quando a punição for encerrada, ele poderá entrar na escala da secretaria para passar a exercer efetivamente o direito e reencontrar Adriana Ancelmo em encontros íntimos.

Leia também: Adriana Ancelmo usou carteira da OAB para visitar Sérgio Cabral na cadeia

Relembre as joias de Adriana Ancelmo apreendidas pela PF:

Continue lendo

Polícia

Política MT

Política Nacional

Polícia Federal

Mais Lidas da Semana