conecte-se conosco


Esportes

EUA faz 13 a 0 e aplica maior goleada da história do Mundial Feminino

Publicado

em

seleção dos estados unidos feminina
Reprodução

Alex Morgan foi destaque da goleada dos Estados Unidos contra a Tailândia

Lance

Atuais campeãs do torneio, a seleção dos Estados Unidos estreou nesta terça-feira na Copa do Mundo Feminina de 2019.

Leia também:  Marta volta aos treinos e pode reforçar o Brasil no jogo contra a Austrália

Repleta de grandes jogadoras, a seleção dos Estados Unidos não decepcionou no estádio Auguste-Dalaune e bateu a Tailândia sem dificuldades por 13 a 0, construindo a maior goleada da história das Copas.

Com o resultado, as norte-americanas assumiram a ponta do Grupo F, seguida pela  Suécia, que também venceu na estreia.

A PARTIDA

Não demorou muito para a equipe comandada por Jill Ellis abrir o placar na partida. Logo aos 12 minutos, Alex Morgan balançou as redes. A atacante recebeu cruzamento de Kelley O’Hara e completou de cabeça para o gol.

Oito minutos depois foi a vez de Rose Lavelle marcar o dela. Morgan tocou para a meia, que perto da área, arriscou um chute que ainda contou com desvio da goleira antes de entrar.

Ainda no primeiro tempo, os Estados Unidos chegaram ao terceiro gol, com Lindsey Horan. A meia aproveitou uma bola mal afastada dentro da área e chutou forte, sem chances para a arqueira adversária. Frágil tanto defensivamente, quanto ofensivamente, a Tailândia não conseguiu assustar as norte-americanas, que foram com larga vantagem para o intervalo.

No segundo tempo, a equipe estadunidense continuou em cima e massacrou a Tailândia com uma sonora goleada. Em um período de apenas seis minutos, a seleção marcou quatro gols, com Mewis marcando duas vezes, Morgan e Lavelle transformando a partida em um 7 a 0.

Mas elas não pararam por ali e queriam ir busca do recorde de maior goleada da história superando o 11 a 0 da Alemanha sobre a Argentina no Mundial de 2007.

Aos 29 minutos, Morgan marcou seu terceiro gol na partida. Cinco minutos depois foi a vez da capitã Rapinoe deixar o dela. Sem perder as contas, Morgan balançou as redes mais uma vez, marcando o décimo dos Estados Unidos.

Leia também:  Polícia comprada? Delegados respondem Najila após declaração polêmica

Pugh marcou o 11° gol aos 39 minutos e igualou o recorde alemão. Coube a artilheira da Copa, Alex Morgan a fazer o 12° gol, aos 42, e entrar para a história. Ainda deu tempo para a veterana Carli Lloyd fechar a goleada em 13 a 0 nos acréscimos para os Estados Unidos .

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esportes

Neymar quer pedir desculpas públicas ao Barça e dizer que errou em ida ao PSG

Publicado

em

por

Neymar
Divulgação/PSG

Neymar pode voltar ao Barcelona na próxima janela de transferências

Neymar está disposto a tudo para retornar ao Barcelona. Agora, o craque quer pedir desculpas publicamente ao clube catalão e dizer que errou ao assinar com o Paris Saint-Germain, em 2017. Na época da transferências, o camisa 10 foi comprado por 222 milhões de euros e se tornou a negociação cara da história do futebol mundial.

Leia também: Maioria dos torcedores do Barcelona não quer o retorno de Neymar ao clube

De acordo com o jornal ‘Sport’, Neymar está profundamente arrependido e quer voltar atrás. O brasileiro sente que não conseguiu alcançar os objetivos a que se propôs ao nível esportivo – na Liga dos Campeões, o PSG não foi além das oitavas de final – e percebeu que o clube francês não tem calibre para se impôr aos grandes clubes europeus em campo.

Ainda segundo o jornal, o atacante já teria admitido, em particular, a alguns ex-companheiros de Barcelona o seu erro. Conforme o ‘Sport’, o craque estaria arrependido da decisão que tomou e teria “se deixado levar pela exorbitante oferta parisiense e a possibilidade de encabelar um projeto destinado a marcar uma época na Europa”.

Leia também: Polícia francesa consegue vídeos do hotel onde Neymar se encontrou com Najila

A imprensa espanhola já relatou que Neymar estaria disposto a ganhar bem menos do que ganha atualmente no Paris Saint-Germain, voltando ao salário que tinha na época em que deixou o Camp Nou. No entanto, o PSG não quer aceitar negociar o jogador com o Barcelona.

Continue lendo

Polícia

Política MT

Política Nacional

Polícia Federal

Mais Lidas da Semana