conecte-se conosco


Internacional

Ciro Gomes diz que Tabata Amaral deve deixar o PDT: “Desgosto”

Publicado

em

Na tarde desta quinta-feira (11) o ex-governador do Ceará Ciro Gomes (PDT-CE) afirmou, em um evento realizado na Câmara de Vereadores de Porto Alegre, que a deputada federal Tabata Amaral (PSDT-SP) deve deixar o partido. 

Leia também: “Se tem um brasileiro que sabe que o Lula não é inocente, sou eu”, declara Ciro

Tabata Amaral e Ciro Gomes arrow-options
Divulgação

Tabata Amaral e Ciro Gomes

Em sua declaração, o ex-governador do Ceará se mostrou decepcionado com a deputada, que na noite de quarta (10) votou a favor da aprovação do texto-base da reforma da Previdência. “Para mim, neste momento, ainda estou com aquele sofrimento que no verso de Djavan fala em ‘desgosto de filha’ e esse sentimento não é bom conselheiro para providências que devemos tomar”, disse Ciro Gomes .

Leia também: Ciro Gomes será processado por comunidade judaica por antissemitismo

“É certo que em minha opinião, ela cometeu um erro indesculpável, mas vale lembrar que a deputada tem 25 anos e ainda é uma idade em que as pessoas podem errar, embora no caso, um erro desse contra a melhor tradição do trabalhismo brasileiro e contra o povo mais pobre, é um erro que não pode passar impune”, completou ele.

Leia também: Justiça ordena que Ciro Gomes responda processo por difamação contra Doria

Ainda de acordo com Ciro Gomes , “isso tudo será examinado nos devidos procedimentos que o PDT abrira a partir da quarta-feira que vem”. Todavia, para ele, Tabata Amaral e os outros pedetistas que contrariaram a orientação do partido deveriam deixar a sigla. 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Internacional

Policial grávida atingida por tiro durante assalto perde bebê

Publicado

em

por

Policial do Pará foi baleada em tentativa de assalto arrow-options
ARQUIVO PESSOAL / REPRODUÇÃO

Policial Ketlen Lima, de 23 anos, reagiu a assalto na cidade de Ananindeua

A polícia do Pará confirmou na noite do sábado (20) a morte do feto carregado pela policial militar Ketlen Lima Silva, de 23 anos, vítima de tentativa de latrocínio na cidade de Ananindeua, Região Metropolitana de Belém. 

Ketlen, grávida de cinco meses, foi atingida por um tiro durante tentativa de assalto em um conjunto residencial da cidade. O projétil atingiu o pulmão e o coração da soldado, que continua internada na Unidade de Tratamento Intensivo do Hospital Metropolitano.

Leia também: policial militar grávida é baleada em tentativa de assalto

Os médicos consideram que a cirurgia da vítima foi satisfatória, mas o estado de saúde dela ainda é grave. O bebê não resistiu. O suspeito do crime, que além de atirar na policial, roubou a arma dela, ainda não foi encontrado. 

Continue lendo

Polícia

Política MT

Política Nacional

Polícia Federal

Mais Lidas da Semana