conecte-se conosco


Esportes

Catar inaugura estádio com ar-condicionado nos assentos para a Copa do Mundo

Publicado

em


estádio Al Wakrah
Igor Siqueira

Al Wakrah é o segundo estádio a ser entregue para a Copa do Mundo no Catar

A abertura do estádio Al Wakrah, nesta quinta-feira, na final da Copa do Emir, entre Al-Sadd e Al-Duhail, inaugura uma nova página tecnológica relacionada à preparação para a Copa do Mundo do Catar. A arena tem capacidade para 40 mil pessoas, é a segunda entregue para o Mundial, mas é a primeira na qual o sistema de condicionamento do ar é feito por saídas localizadas sob os assentos.

Famoso pelo design da cobertura, que virou motivo de piada na internet, o Al Wakrah é o primeiro estádio entregue pela organização da Copa que foi feito do zero. Quem o antecedeu na lista de arenas prontas é o Khalifa Stadium, um “vovô” para os padrões do Catar , cuja repaginação terminou em 2017 — reabrindo também para uma final da Copa do Emir — e envolveu uma refrigeração mais “tradicional”. 

Leia também: Final da Copa 2022 no Catar está marcada para cidade que ainda nem existe

Na véspera da partida, Al-Sadd, de Xavi, e Al-Duhail, de Benatia, fizeram o reconhecimento da arena . Internamente, por causa do padrão Fifa , é difícil atribuir uma característica extremamente peculiar. Destacam-se a visão de baixo para cima da famosa cobertura, além do desenho dos assentos.


Estádio Al Wakrah
Igor Siqueira

Estádio Al Wakrah será palco da final da Copa do Emir nesta quinta-feira

Enquanto funcionários faziam os ajustes finais para a partida neste ainda empoeirado estádio, com cheiro de novo, o ar-condicionado estava em ação. A tecnologia aplicada foi desenvolvida por uma equipe chefiada pelo Dr. Saud Abdul-Ghani, professor na Faculdade de Engenharia da Universidade do Qatar. No Al Wakrah, foi possível aplicar o método por completo. 

“Como o Khalifa já era um estádio existente, não pudemos implementar toda a tecnologia que queríamos porque estávamos amarrados por estruturas de concreto e falta de espaço livre. Não pudemos, por exemplo, fornecer a refrigeração embaixo dos assentos. Mas usamos bocais que entregaram a exata quantidade de ar frio necessária para as pessoas aproveitarem o jogo confortavelmente”, explicou Abdul-Ghani.

Leia também: Escândalo na Fifa! Catar teria pagado R$ 3,8 bilhões para sediar a Copa 2022

A cobertura do estádio, segundo o engenheiro, forma um mecanismo de defesa contra entrada do ar quente.

“A tecnologia trabalha para manter a bolha de ar frio por quanto tempo for necessário. No Al Wakrah Stadium, estamos usando uma técnica de circulação de ar, o que significa que reutilizamos parte do ar que já foi resfriado. Por isso a tecnologia do Al Wakrah é mais eficiente do que a do Khalifa”, completou Dr. Saud.


Saídas do ar-condicionado sob o assento
Igor Siqueira

Saídas do ar-condicionado sob o assento

Após a Copa do Mundo , a arena será usada pelo time local, que joga a segunda divisão do Qatar, e terá capacidade reduzida pela metade — ficando em 20 mil pessoas, com a retirada do anel superior. Os assentos serão destinados a outros países menos favorecidos financeiramente e que necessitam de contribuição para o desenvolvimento do futebol. 

Ele é o estádio que fica mais ao sul de Doha. A estação de metrô já está funcionando, mas ela fica um pouco distante. Por isso, há um serviço adicional de ônibus para levar os torcedores em um trajeto aproximado de 30 minutos.

Leia também: Copa de 2022 terá lugares específicos para consumo de bebidas alcoólicas

O Comitê Organizador Local não informa os preços dos estádios individualmente. Então, o investimento no Al Wakrah é apenas uma fatia do orçamento total de aproximadamente R$ 25 bilhões destinado a todas as construções de estádios e locais de treinamento para a Copa de 2022 .

Depois do Al Wakrah, o próximo estádio na fila para ficar pronto para a Copa do Catar é o Al Bayt, que fica em Al-Khor, ao norte de Doha.

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esportes

Revivendo o passado: Como é jogar um torneio de futebol de botão em São Paulo?

Publicado

em

por


bar de futebol de botão
Flavia Matos

No bar Arquibancada Botões Clássicos as mesas são livres para os jogadores

O futebol é uma das maiores paixões dos brasileiros, seja ele na quadra, no campo ou em cima de uma mesinha. Se você cresceu entre os anos 1940 a 1980 certamente jogou futebol de botão alguma vez em sua vida. Imagina como seria em pleno 2019 encontrar um lugar para relembrar o seu hobby de infância?

Leia também:  Conheça Ada Hegerberg, a melhor jogadora do mundo que não estará na Copa

Para quem é de São Paulo essa oportunidade pode rolar no bar Arquibancada Botões Clássicos, na região da Pompéia, zona oeste da capital paulista. Aberto de terça a domingo, o local é um templo para os apreciadores do futebol de botão .

Nas terças-feiras, das 19h00 as 23h00, acontece um torneio de jogo de futebol de botão . A temática muda conforme os semestres e quando o IG Esporte esteve lá para conferir a competição estavam rolando as semifinais da Liga e Copa Sudamérica.

Divididos em três divisões (A, B e C) os 56 participantes da Liga do Arquibancada Botões Clássicos lutam por um troféu e a disputa é séria. Cada jogador tem suas manias e rituais pré-jogo.

Tem aqueles que carregam seu time em sacolinhas, outros em estojos e outros ainda em maletas com repartições específicas. Antes das partidas aparece a sagrada ‘flanelinha’ para ajudar o botão a deslizar melhor na mesa. Alguns não se importam com isso e já posicionam seus atletas em campo. Tem até quem leve uma ‘torcida’ na caixinha de som para animar o duelo.


jogo de futebol de botão
Flavia Matos

Cerca de 56 pessoas participam da liga de futebol de botão do bar arquibancada botões clássicos

Com a bola rolando, as equipes de botão se enfrentam em dois tempos de oito minutos cada, com cerca de dois ou três minutos de intervalo. Há partidas que são tensas e ninguém respira. Tem aquelas que são um falatório só, tem para todos os gostos.

O bar tem algumas regras próprias. Ao invés do clássico 12 toques da chamada Regra Paulista (explicada mais pra frente), no Arquibancada você pode dar apenas 10 toques, sendo o último obrigatório o chute. O goleiro do ‘time da casa’ é milímetros maior que o visitante, afinal alguém precisa de vantagem.

Além das mesas de futebol de botão , o bar também chama atenção pela decoração. Repleto de camisas de times de todo o mundo, cachecóis e bandeiras, as paredes são revestidas de craques do passado e assinaturas. O local é bem conhecido e frequentado por ex-atletas e músicos.

Tem comida também! O menu inclui porções de azeitona, salgados e os famosos lanches de pernil e carne louca das entradas de estádios. Quem é vegetariano também é bem-vindo e encontrará um lanche especial. A cerveja é em conta, mas os jogadores são muito focados para ficarem bêbados e o que mais sai é a água.


decoração do bar
Flavia Matos

As paredes do bar são decoradas com camisas de time de futebol, reportagens e fotos com jogadores

Para quem quer acompanhar os torneios a equipe do Arquibancada Botões Clássicos transmite algumas partidas nas redes sociais do estabelecimento. Se você se interessou e quer começar a competir é importante dar um pulo no bar para ver a disponibilidade de vagas. Lá também tem venda de equipamentos.

Leia também:  Reveja os nove principais capítulos da novela entre Palmeiras e TV Globo

O lema do Arquibancada é “a máquina do tempo existe” e sim, ela existe lá. O clima, a amizade, o ambiente, a paixão e a devoção que o futebol de botão evoca estão presentes em cada olhar e mão que mexe os jogadores. Para quem gosta é um prato cheio para a diversão. Tire seus botões do armário e vá se divertir, o futebol não tem idade.


time de ademir da guia no botão
Flavia Matos

Ademir da Guia já visitou o Arquibancada e deixou seu time de botão do Palmeiras

Você lembra de todas as regras do futebol de botão? Veja abaixo**

Subutteo

Equipes formadas por dez jogadores (réplicas em miniatura de jogadores apoiados numa base esférica) e um goleiro (réplica em miniatura de um goleiro preso a uma barra plástica/metálica com cerca de 10 centímetros de comprimento) num campo de tecido verde com balizas fixas.

Sectorball

Botões de plástico com buraco no centro de 5 cm de diâmetro e 2 cm de altura. Goleiro tem 5 cm de diâmetro e 2,5 de altura. Joga-se com réguas ou palhetas.

Regra Paulista

Partida com duração de 20 minutos e dois tempos de 10 minutos, intervalo de cinco minutos cada. Cada time tem o limite coletivo de 12 toques, sendo o 12º obrigatório o chute.

Regra Carioca

Partida com duração de 40 minutos e dois tempos de 20 minutos, intervalo de cinco minutos cada. Cada time tem o limite coletivo de 03 toques, sendo o 3º obrigatório o chute. O chute só é permitido quando o primeiro lance foi executado no campo de ataque.

Regra Baiana

Um toque com duas vertentes ‘Liso’ e ‘Livre’. No Liso os botões são lisos por baixo (comumente jogado no nordeste e espírito santo) e em Livre os botões são cavados por baixo (regiões sul e sudeste).

**classificações seguindo a Confederação Brasileira de Futebol de Mesa (CBFM)

Continue lendo

Polícia

Política MT

Política Nacional

Polícia Federal

Mais Lidas da Semana