conecte-se conosco


Entretenimento

BTS cita “juntos e shallow now” durante show em São Paulo

Publicado

em

Um coro de quatro minutos ecoou quando Jimin, Jungkook, RM, Jin, V, J-Hope e Suga subiram ao palco do Allianz Parque, em São Paulo, no sábado (25), com direito a samba no pé e referência a “juntos e shallow now” no fim. O show começou pontualmente às 19h, sem apresentação de abertura. 

Leia também: Acampados há três meses, fãs de K-pop lotam estádio para assistir ao show do BTS


bts
Reprodução/Twitter/ForARMYsBTS

O grupo BTS ainda sambou diante dos 42 mil fãs no Allianz Parque, em São Paulo

A recepção com reverência e a devoção na forma de três meses de fila, objetos de algumas centenas de reais e aprendizado de coreano são dignas de superstars. E é como superstars que os sete cantores do BTS , maior fenômeno de K-pop da atualidade, se apresentam no palco: fogo, pilastras gregas, duas estátuas de panteras e projeções de templos gloriosos são apenas complemento do grupo performático e seguro no palco.

Eles abrem o show com uma das músicas do álbum que os colocou no “mesmo patamar” dos Beatles. Com “Map of the soul: Persona”, o BTS se tornou o primeiro grupo desde os britânicos a emplacar três álbuns no topo das paradas.

Com “Dionysus” levantaram a plateia de 42 mil pessoas no Allianz Parque. “Vamos roubar a cena, somos demais”, diz a música. O estádio concorda.

Leia também: De Psy a BTS: a explosão do K-pop no Brasil vive seu auge

Após duas músicas, eles param o som, conversam com a plateia em coreano, inglês e se arriscam português. Alternam a grandiosidade e o intimismo para cativar as fãs. E ouvem atentamente a cada sessão de gritos.

O show impressiona pela tecnologia e pelos efeitos. São dois palcos ligados por uma passarela e sete telões que viajam pelo mundo com eles.

A turnê “Love yourself: speak yourself” começou em 4 de maio nos Estados Unidos e desembarcou para dois shows no Brasil neste sábado (25) e domingo (26). Após as apresentações brasileiras, eles seguem para a Europa.

De surpresa, surgem no meio do palco e mostram que aprenderam a sambar. “Vocês querem?”, perguntam em português, antes de sambarem um pouco desengonçados.

O BTS também mistura pop efusivo com rap. Não à toa, o grupo tem quatro cantores e três rappers. A diferentona da noite é “Singularity”. A melodia lembra os R&Bs mais românticos e V surge no palco de pijamas em uma cama bagunçada.

Cada um tem oportunidade de brilhar sozinho no palco. Um dos pontos altos é “Euphoria”, solo do queridinho Jungkook. Com um pop mais suave, ele voa pleno sobre a plateia preso a uma tirolesa para cantar os versos sobre amor e êxtase.

“Idol” é uma das mais esperadas da noite. A música que resgatou elementos da cultura típica coreana mas também trouxe batidas de eletrônico fez o Allianz pular com as mãos pra cima e repetir sem parar o refrão “oh oh ooh”.

A última música da noite ajuda a explicar o sucesso do BTS:

“Nesta noite escura (não fique sozinho), como estrelas (nós brilhamos), não desapareça porque sua existência é importante, vamos brilhar”, diz a letra de “Mikrokosmos”.

Com mensagens sobre aceitação e problemas jovens, eles cativam o público pelo apelo emocional.

O cenário é colorido e vibrante: projeções alternam neon e cidades ao redor do mundo e espalham luz por todo o estádio. O palco ganha cama, piano, escadas, pilastras, tirolesa. Fogos de artifício e jatos de fogo completam a pirotecnia.

Show da plateia

Uma hora antes do show começar, o estádio cantava à capela a música “Fire”. Este foi apenas o primeiro canto coordenado.

Para todo o show, o fã-clube elegeu 11 fanchants (reações sincronizadas) que foram de erguer corações vermelhos de papel a cantar trechos de músicas no intervalo.

Leia também: Fila para show do BTS já reúne milhares de adolescentes de todo o País 

Munidos das army bombs (bastões de luz oficiais do grupo, vendidos por R$ 250 no show), lanterna de celular com fita colorida e qualquer outro apetrecho capaz de iluminar, os fãs do BTS acenderam o estádio, também sincronizadamente. 

publicidade
Clique para comentar

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entretenimento

Afastado da Globo, Mauro Naves faz 60 anos e ganha homenagem da esposa

Publicado

em

por

Mauro Naves acordou nesta segunda-feira (24) com mais um ano de vida e com uma bela homenagem da esposa, Patricia Naves, em seu Instagram. A atriz publicou uma mensagem de aniversário para o marido na rede social.

Leia também: Globo investiga ligações entre Mauro Naves e ex-advogado de Najila Trindade

Mauro Naves
Reprodução/Instagram

Mauro Naves

“Môr, Mauro Naves , neste seu dia não preciso tentar traduzir em palavras o que lhe desejo, você sente no meu olhar. Mesmo porque, mais do que desejar, eu quero lhe agradecer. Gratidão por ser a pessoa que você é: um ser cheio de luz que contagia a todos com um sorriso franco e com um coração maior ainda”, escreveu Patricia Naves no aniversário do marido.

Leia também: Afastamento de Mauro Naves gera clima de terror na Globo

“Gratidão por ser meu companheiro nesta jornada de crescimento aqui na terra, me ensinando o exercício da serenidade, generosidade, bondade e humildade. Nossa família, filhos, genros e netas, temos muito orgulho de você. E assim seguimos juntos nossa caminhada. Saúde, pra usufruir tudo o que o Universo reservou pra lhe presentear. Sou sua maior e eterna fã. Te amo além”, encerrou.

Leia também: Mauro Naves comemora gravidez da filha com discurso babão no Instagram

Atualmente, Mauro Naves está afastado da Globo por conta de seu envolvimento com o ex-advogado de Najila Trindade, que acusou Neymar de estupro.

Continue lendo

Polícia

Política MT

Política Nacional

Polícia Federal

Mais Lidas da Semana